1. SIGNIFICADO DA MIKDASHDSC06529

Pra que você entenda o chamado ministerial nosso, faz-se necessário o entendimento de como os judeus entendem sobre o templo, abaixo está um estudo sobre a Mikdash – e o coração dos judeus a respeito disso, copiado diretamente do site judeu e adaptado para a nossa versão:

http://www.cohen-levi.org/temple_studies/introduction_to_the_temple.htm

“Introdução ao Templo

A. O objetivo desta classe é apresentar informações sobre o Templo Sagrado, a fim de torná-la mais real e compreensível, para desmistificar o Templo, para nos ajudar a perceber que era um fato histórico e parte integrante da vida judaica e da religião.

O objetivo é incentivar o conhecimento e a valorização do papel do Templo, para apreciar a sua grandeza, sentir a sua perda, e para promover o seu retorno através do aumento da sensibilização e consciência do passado e do futuro e para como estas no presente.

B. O templo e os serviços do Templo são parte integrante do quotidiano dos judeus até hoje:

1. Na oração: no shmone esre oram para o retorno do Templo e seus serviços. No Yom Kippur serviço que vicariously reviver o Kohen Gadol s serviço "para atingir expiação para o povo de Israel . Todo Shabat e feriados lembram as ofertas trazidas para a comunidade no Templo.

2. Feriados: Chanukah é baseado na rededicação do Templo e do milagre da Menorah . Sucot comemoramos noSimchat Beit HaShoeva e Aravacomo uma lembrança do serviço do templo. Em Pessach comem o Matzae Maror por falta de Korbon Pessach cordeiro que era comido com ele. No nono dia de Av lamentam e rápido, em comemoração à perda do Templo e no desejo de sua reconstrução.

3. Outros: Nos casamentos que quebrar um vidro de recordar que a alegria não é completa enquanto o Templo está ainda por construir. O Kotel, o Muro Ocidental é o foco da atenção, o lugar onde buscam todos os contribuintes, o remanescente remanescentes do templo.

C. O estudo do Templo e do Templo de serviço

A maior parte da Torá escrita lida exclusivamente com o serviço do Templo. O livro de Vayikra e na segunda metade do livro Shemot tratar quase que exclusivamente com os vasos, os participantes e os procedimentos do serviço. A fim de completar a Mishna eo Talmud Kodshim Seder está preocupado com os detalhes do serviço. Os Sábios judeus dizem que o estudo do serviço do Templo é equivalente ao seu desempenho real. Na aprendizagem sobre o templo,  demonstram um desejo para o sua restauração e a redenção final do povo judeu.

A importância do templo

1. A importância do templo para o povo judeu e o mundo não pode ser superestimada. O Serviço de Templo serviu como centro da vida judaica a partir do momento da entrega da Torá no Monte Sinai até a destruição do Segundo Templo, em Jerusalém, um período de aproximadamente 1.500 anos.

2. O Templo era o social nacional, e centro religioso e judicial do Povo Judeu. O complexo do Monte do Templo. Moriah em Jerusalém serviu como sede do grande Sinédrio , que foi o órgão supremo e fonte de decisões Torah (Foi sob a supervisão do Nasi e Beit Din Av , os anciãos da corte). O serviço próprio templo estava sob a autoridade doKohen Gadol , Sumo Sacerdote. Ele chefiou uma hierarquia elaborada dos funcionários encarregados da execução adequada do serviço do Templo.

3. Se as nações do mundo soubesse o quanto eles precisavam do templo, eles teriam cercado com fortalezas armadas para protegê-lo ( Midrash B’midbar ).

4. O Templo Sagrado era parte do projeto de criação. Como foi descrito na visão de Ya’akov Avinu , o patriarca Jacó, que viu uma escada unindo a terra ao céu, o templo serve como um portal para o reino celestial.

5. O Templo misticamente confirmou a imagem de um homem. O Santo da Santidade – contendo a Arca Sagrada, a fonte da sabedoria da Torá – corresponde à mente humana. O Menorah , uma fonte de luz, simbolizando a iluminação, corresponde ao olho direito. O Shulchan , a tabela que realizou o pão que representa o sustento material, corresponde ao olho esquerdo.

O Altar de Ouro, em que o incenso era oferecido, o que representa simpatia nos relacionamentos, corresponde ao nariz. O caminho de entrada para o Heichel , onde o Cohanim se levantou para dar a bênção, representa a boca. E pode-se acrescentar que o exterior Mizbayach , o altar sobre as ofertas que foram queimados, corresponde ao estômago de um homem.

6. O Templo e o serviço realizado quatro propósitos gerais: um, para purificar o homem do pecado e alcançar a expiação; dois, para trazê-lo mais perto de seu Criador ; três, para elevá-lo a um nível de inspiração e até mesmo profetizar, de quatro, para ser uma fonte da Bênção Divina para todos os envolvidos no serviço e para o mundo em geral.

7. O Templo – mikdash era uma entidade espiritual no mundo físico. Através do serviço do Templo, um indivíduo pode alcançar o perdão e redenção por meio do processo de trazer uma oferta. Agora, quando não temos o serviço do Templo, podemos alcançar a redenção através t’shuva combinado com oração e estudo da Torá. A propositura de sacrifícios, era uma mais certa e meio direto para expiação e relação imediata com o Criador.

8. O Templo era a Casa de Deus, onde está a presença de Deus estava prontamente disponível a todos aqueles que O buscavam. Houve manifestação diária da presença divina por meio de milagres – a suspensão das leis da natureza "para que todos possam ver. Ao longo da época do Primeiro Templo, uma lâmpada do candelabropermaneceu acesa continuamente e a fogo do altar tinha a forma atual de um leão agachado. Mesmo no Segundo Templo, quando o nível sobrenatural foi menor, mesmo depois de dez milagres eram vistos constantemente. O Templo era o lugar terrestre do Todo-Poderoso, com sua presença mais concentrada do que existe em qualquer lugar do mundo. Foi em essência, a embaixada do Céu na Terra.

9. Sem o Templo, a vida é fundamentalmente diferente. Com a sua destruição, mesmo que a natureza física mudou. Os sábios do Talmud, alguns dos quais viveram durante tanto tempo do Templo e depois de sua destruição, dizem que os frutos agora falta o seu sabor cheio, o céu não é a sua cor verdadeira, e toda a beleza da música e da canção foram perdidos. A maioria, tragicamente, o nível espiritual do povo judeu – e da humanidade como um todo – têm sido muito reduzidos.

10. Ainda hoje o templo e seus serviços constituem um foco essencial da vida cotidiana religiosa judaica. As orações, feriados e Torá são profundamente imbuído com a lembrança do Templo e o desejo para a sua restauração dos judeus. Por exemplo, na Amidá de oração, oram para o retorno do Templo e seus serviços. Os feriados de Pesach,Sucot , Chanukah e Nove de Av , estão ligados ao Templo. Dos cinco livros da Torá, Vayikra e metade do livro deShemot (Levítico e Êxodo), tratam principalmente com o serviço do Templo.

11. Os profetas judeus têm relacionado a promessa de Deus que o templo voltará a ser restaurado, retornando assim ao serviço da sua própria posição central na vida judaica. Estudo e preocupação com o serviço do Templo, portanto, não só faz sentido um estudo do passado, é uma preparação necessária para o futuro.

"Construir para mim um mikdash …" – Fontes “grifos nossos”

A. "Faça-me uma mikdash e eu habitarei entre vocês." Shemot25:8

1. Esta Mitzvah incluiu a construção do Tabernáculo, a tenda portátil no deserto, os três lugares que habitou temporariamente na Terra de Israel, e sua morada final no Monte do Templo em Jerusalém.

2. 410, o período do Primeiro Templo ", e no segundo (Templo) 420 (anos)"

B. "E isso é o lugar que o Senhor teu Deus escolher para nele habitar, lá você deve trazer tudo o que eu ordeno a vocês: os vossos holocaustos e sacrifícios, os vossos dízimos e os seus primeiros frutos, e todos os votos que lhe são fazer para o Senhor. " (Devorim 12:11)

C. três vezes por ano todos da nação chegou a comemorar juntos no Templo de Jerusalém: Pessach , Shevuot eSucot.

2. ASPECTOS DA MIKDASH

A. MIKDASH – O local de concentração a presença de mais de Deus

1. Literalmente significa que o santo da casa "ou a" casa que faz santo ", isto é, eleva o nível de material para um nível espiritual.

2. Metafísico, sobrenatural, acima da natureza. Um lugar acima da natureza, acima do tempo e do espaço

3. O ponto de ligação entre os mundos superiores e inferiores.

4. O lugar da Arca Sagrada, a Menorah , a mesa de ouro, o altar do incenso. Heavenly música, Beautiful Perfumes, Santa Luz, Divine Fire.

B. O Altar exterior utilizados no serviço de Korban , as oferendas de animais

1. Definição de Korban : significa alcançar proximidade com o Criador. Não é sacrifício, que implica a perda pessoal. Não oferecer o que implica a escolha pessoal aberto.

2. Mitzvah : instruções muito precisas Divina que devia ser seguido exatamente como ordenado.

3. O sentido da obtenção de expiação para os indivíduos e para a nação.

4. Unificação de todos os elementos da criação: animal, vegetal e mineral.

5. Fragrância agradável: a satisfação suprema de Hashem de seu povo fazer a Sua vontade. Deus não precisa do serviço. O que fazemos.

História do Templo e os serviços do templo

A. Desde o início, o Monte do Templo foi reconhecido como o centro do universo.

1. Berashit : Folha de Bara , a pedra fundamental de que a criação começou.

2. Adam HaRishon criado a partir da questão do lugar onde ele se ofereceu a Deus no lugar.

3. Caim e Avel: Avel trazido o melhor de seu rebanho como oferenda ao passo que Caim trouxe qualidade de vegetação mais pobre.

4. Noé, depois do dilúvio, ofereceu ação de graças dos animais kosher extra que trouxe com ele na arca.

5. Sem ben Noah, também conhecido como Malki-Tzedek, foi um Cohen de Deus em Jerusalém

B. Os pais do povo judeu.

1. Avraham
a) a tenda de Avraham e Sara era um modelo para o Templo para vir. Uma nuvem de glória que representou aShechiná é presença "sobre a Arca Sagrada suas velas permaneceram acesas durante toda a semana, à semelhança domenorá no Templo. O pão que Sara ficou fresco cozido durante toda a semana, como o pão na mesa do Templo.
  b) Abraão foi ordenado por Deus para trazer o seu filho Isaac para o lugar que Deus lhe revelou, que era o Monte do Templo, Har Moriah . Tendo cumprido o mandamento de Deus para trazer Yitzhak cima e ter mostrado a sua vontade até mesmo para tomar o seu vida, se isso for a vontade de Deus, Avraham foi-lhes dito para tomar Yitzhak descer do altar. Um carneiro foi oferecido em seu lugar.
  c) Quando Avraham foi escolhido por Deus para ser o pai da nação Godly, um pacto foi feito. O procedimento através do qual a aliança foi feita foi a de que Avraham era obrigada a sacrificar animais e passar por suas partes. Este procedimento estabelecido a importância da oferta de animais.

2. Yitzhak
a) Ele se permitiu ser vinculado ao Altar e, embora ele não foi abatido, oMidrash refere, que, simbolicamente, as cinzas de Yitzhak permanecer no altar para sempre.

3. Ya’akov
  a) Apesar de dormir no Monte do Templo, ele tinha o sonho da escada, alcançando os céus simbólico do serviço do templo. Ele viu em sua visão da destruição do Templo Sagrado que está sendo restaurado para sua proteção integral.
  b) As pedras do local se reuniram em torno de Ya’akov e estes deveriam ser a base do altar.

C. Sinai

1. O Midrash relata que Har Moriah foi transferido para o Monte. Sinai para a revelação da Torá.

2. As pessoas acamparam no Monte. Sinai em três divisões. No centro foi a presença da Shechiná . Cerca de que foi o acampamento das famílias da tribo de Levi e que foi em torno do acampamento das tribos de Israel. Este arranjo foi o modelo para a viagem no deserto, acampado ao redor do Tabernáculo . É também o modelo para o complexo do Templo: no interior das muralhas de Jerusalém é o equivalente ao acampamento das tribos de Israel. O Monte do Templo é equivalente ao acampamento dos levitas, e a construção do Templo e do pátio interno é equivalente ao campo da Shechiná.

D. O Mishkan – Tabernáculo

1. A construção do Mishkan , o Templo portátil, foi ordenado no primeiro ano após o Êxodo. Foi inaugurado no dia primeiro de Nissan do segundo ano após o Êxodo.

2. Uma descrição detalhada da construção e funcionamento do serviço do Mishkan são encontrados nos livros deShemot e Vayikra.

3. Aharon, irmão de Moisés, e seus filhos foram nomeados Cohanim para servir no Tabernáculo.

4. Durante 40 anos, o povo judeu viajou no deserto com o Mishkan em seu centro.

E. Into Eretz Yisrael

1. 440 anos antes do templo foi construído em Jerusalém, a resolução da Terra ocorreu por tribos ea regência dos juízes.

2. Gilgal, 14 de Shilo 369 de 13 de novembro, Gibon 44 anos.

F. O Primeiro Templo

1. Rei David comprou o site do Monte Moriah, após ter sido informado pela profecia quanto à localização do Templo. Ele preparou materiais para a construção do Templo e colocou e santificou os seus fundamentos.

2. O rei Salomão, filho de David, reunidos materiais e construiu o Primeiro Templo.

3. O Primeiro Templo durou 410 anos. Foi inaugurada e se tornou um dos ele maravilhas do mundo antigo.

4. Perto do fim do Templo, sob a ameaça de destruição, a Arca Sagrada eo Templo de outras embarcações estavam escondidas abaixo do Monte do Templo.

5. O Templo foi destruído eo povo judeu foi exilado na Babilônia por 70 anos.

G. O Segundo Templo

1. O Segundo Templo foi construído com a permissão dos governantes persas sob a liderança de Nechemia e Ezra.

2. O nível de presença de Deus foi menor no segundo templo que no primeiro.

3. No meio da história de 420 anos do Segundo Templo, o Macabbees, a família do Hashmonaim , liderou uma revolta para livrar o Templo de influência grega e re-estabeleceu o culto, e resanctified a área que se tornou contaminado.

4. Aproximadamente 100 anos antes da destruição do Templo em 70 dC, Herodes reconstruiu o Templo e remodelado eo Monte do Templo. Trata-se das muralhas de Herodes que circundam o Monte do Templo que vemos hoje.

5. O Templo foi destruído pelos romanos e lavraram durante a realização da profecia fatídica.

6. Desde a destruição, os romanos, os cristãos bizantinos, os primeiros muçulmanos, os cruzados cristãos. e mais uma vez, os muçulmanos ocuparam o Monte do Templo.

H. O Terceiro Templo

1. A profecia de Ezequiel contém uma descrição detalhada do futuro templo.

2. O comando para construir um templo ainda está em vigor. Se não for construído até então, será a tarefa deMashiach para reconstruir o Templo.

3. Atualmente não temos profetizar para determinar o local exato do altar que é necessário para o restabelecimento do serviço do Templo.

4. Temos a promessa, porém, que o Templo de serviço será restabelecido, que a glória de Deus voltará a ser claro para todos, e do Templo estará novamente em seu lugar.

…”

Vejam entendemos que Jesus é nossa pedra fundamental, e ele estava inserido no Tabernáculo terrestre dentro de todo este estudo judaico, inclusive temos uma matéria dentro da nossa Escola de Discípulos que se chama Jesus no Tabernáculo, a qual explica claramente Jesus dentro de cada um  dos aspectos desta revelação.

Hoje queremos que você entenda o significado do nome de nosso ministério, e o porque somos o elo de ligação entre os céus e a terra.

Resumindo Mikdash significa templo, ou seja, lugar onde Deus está. Como integrantes desse ministério devemos ser aqueles que trazem a presença de Deus até as pessoas. O Mikdash era um lugar sagrado, lugar de sacrifícios, lugar onde nem todas as pessoas tinham acesso, hoje através do sangue de Jesus temos liberdade para entrar e desfrutar da doce presença de Deus. O que temos feito dessa presença? Como temos tratado a presença de Deus?

3. MOVIMENTO EM ADORAÇÃO

Muitos de nós temos apenas uma vida religiosa, egoísta, legalista, enquanto deveríamos viver plenamente a Palavra de Deus. É preciso nascer de novo, morrer para os valores do mundo e viver pelos valores do Espírito Santo. Para isso é preciso haver arrependimento, o que significa uma mudança de caminho.

Um cristão sempre reconhece o Senhor como digno de louvor e adoração. O seu coração é quebrantado, e ele se coloca na posição de servo todo o tempo porque o seu desejo é adorar, glorificar o nome do Pai e obedecê-lo.

Enfim, Deus nos chama a uma adoração completa, por inteiro, não apenas “da boca para fora”, rígida e insensível. Somos um espírito vivificado em Cristo, refletido em nossa alma restaurada e curada pelo perdão e pelo amor do Senhor, e explodindo em gestos dançantes santificados ao nosso amado Deus por intermédio do nosso corpo, que é a habitação do Espírito Santo.

“Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim, e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim”. Gálatas 2:20

3.1. LOUVOR E ADORAÇÃO

Sacrifícios agradáveis a Deus, são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito não desprezarás ó Deus. Salmos 52:17

É preciso compreender que devemos adorar a Deus em todo o tempo, inclusive em meio às diversidades, porque são nelas que realmente precisamos confiar e esperar no Senhor.

“Bendirei o Senhor em todo o tempo, o seu louvor estará sempre nos meus lábios”.Salmos 34:1

Deus não se impressiona com nossos talentos nem com o que possamos fazer para Ele. Ele se preocupa com nossa VIDA e está sempre nos perguntando: VOCÊ ME QUER?

O louvor e a adoração são um estilo de vida. É estar permanentemente na presença de Deus. A Bíblia apresenta a pessoa de Deus nos chamando consistentemente para adorá-Lo na sua presença, para que possa nos libertar, nos curar, nos remir, nos restaurar e nos renovar, Deus anseia mover nossa vida.

O adorador deve se despir de toda vontade própria para morrer em Cristo, para servi-Lo em espírito de sacrifícios agradáveis a Deus.

Enfim, Deus não precisa da nossa adoração. Ele não se admira com nossos talentos, nossa performance ou a obra realizada, muito menos com o que sai da nossa boca, Ele quer a minha e a sua vida. Ele deseja nos curar, nos libertar, nos ensinar, nos amar! Lembre-se: nós não fazemos favor a Deus ou à Igreja; o privilégio é todo nosso.

Nesse sentido, esse ato do louvor implica a mais íntima comunhão com Ele, de maneira que a dança em adoração expressa e completa o desfrutamento de Sua Presença e relacionamento conosco numa celebração a Ele e com Ele.

Não queremos ser bailarinas ou bailarinos, mas adoradores; não realizamos apresentações, mas ministramos o louvor a Deus, e em vez de palco para nós existe o púlpito, lugar de santidade e autoridade.

Não podemos ignorar que muitos vêm para a igreja, trazendo valores e conceitos do mundo secular, como um balizamento para a maneira de viver e ministrar ao Senhor. É certo que Deus nos aceita como estamos, mas é preciso que O deixemos agir em nossas vidas e que, nesse processo, a conversão desses valores seja efetiva. É impossível adorar ao Senhor com gestos ou atitudes contaminadas por satanás. Não podemos louvar e adorar ao Senhor com a mesma motivação ou com a mesma dança que fazíamos no mundo.

Enfim, temos aprendido que, é possível adorar a Deus com dança, mas é preciso entender que para tanto é necessária uma busca contínua de santidade e de vida transformada em Jesus, além de constantemente vigiarmos nossas motivações para com a obra.

Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifícios de louvor, que é fruto de lábios que confessam o seu nome. Hebreus 13.15

4. ARTE PARA DEUS

Arte significa: dom, habilidade, jeito, capacidade natural de por em prática os meios necessários para obter um resultado, conjunto de preceitos para a perfeita execução de qualquer coisa.

A arte é uma expressão natural, criada por Deus. Toda criação de Deus foi feita para sua adoração. Toda forma de arte foi feita para adorá-lo.

O Senhor nos criou com habilidades naturais. No entanto, ele nos capacita ainda mais para usarmos estas habilidades de uma forma espiritual.

“ Eis que chamei pelo nome a Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, de habilidade, de inteligência e de conhecimento, em todo artifício.” … “Eis que lhe dei por companheiro Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã; e dei habilidade a todos os homens hábeis, para que me façam tudo o que tenho ordenado.” Êxodo 31:3,5,6

Neste texto que o Senhor deu habilidade a todos os homens hábeis, além de seus conhecimentos o Senhor os capacitou ainda mais para a realização da obra do Tabernáculo. Deus capacitou através do Espírito Santo algumas pessoas para que pudessem cumprir as tarefas  que receberam. Nesse caso, a capacitação envolveu a habilidade de fazer uma variedade de itens com excelência e beleza .

Deus nos capacita, nos dá unção para dançarmos para ele e dançarmos bem com excelência e beleza.

Deus é o maior artista. Sua criação é cheia de detalhes, riquezas, Ele é o autor de tudo o que é belo e perfeito.

O homem foi criado repleto de habilidades. Deus aprecia observar estas habilidades quando elas são utilizadas para louvor e glória de Seu nome.

“Os passos do homem bom são confirmados pelo Senhor, e Ele se deleita no seu caminho.” Salmo 37:23

Tudo que fazemos, todas as nossas atividades, com exceção do pecado, podemos fazer para agradar a Deus, basta realizarmos as coisas com uma atitude de louvor.

Se temos habilidade em música, dança ou qualquer outra coisa foi o Senhor que nos criou assim.Deus infinito em amor e misericórdia se compraz em contemplar a sua criação. A Bíblia diz que o Senhor contempla nossas obras:

“O Senhor olha desde os céus e vê a todos os filhos dos homens; da sua morada contempla todos os moradores da terra, ele que forma o coração de todos eles, que contempla todas as suas obras.” Salmos 33:13-14

Se realizamos algo com arte, ou seja, com habilidade, devemos realizar com atitude louvor. Se cantamos, dançamos ou encenamos que seja para dar glória e louvor a Ele.

Infelizmente a arte de um modo geral através dos meios de comunicação falada, televisiva e escrita, tem sido usada como instrumento de adoração ao diabo, divulgando os propósitos do inferno, deturpando os valores ensinados na Bíblia.

O diabo é o grande usurpador que veio para matar, roubar e destruir (João 10:10). Ele caiu porque desejava o lugar de Deus e ainda deseja receber glórias e honras, por esta razão, vem corrompendo quase toda manifestação de louvor e adoração a Deus seja no canto na música ou dança.

A arte é um instrumento poderoso para a expansão do Reino de Deus e edificação do Corpo de Cristo quando utilizada com a motivação e os propósitos corretos.

5. ADORAÇÃO E A DANÇA

Como já vimos a arte é obra das mãos de Deus, aquele que estendeu céus e terra, e tudo que nela há, o Deus Eterno. E sendo Deus um artista de infinita perfeição, criou uma maneira de expressarmos aquilo que, às vezes, palavras não conseguem dizer: A Dança.

Movimentos geram a dança, e Deus cuidou para que dentro do nosso próprio corpo existisse movimento, através do sangue que corre dentro de nós, as articulações, o bater do nosso coração… Por isso somos livres para O adorar com todo o nosso ser: corpo, alma e espírito.

Deus não está à procura de adoração, mas sim de adoradores ( João 4:23). E hoje o Pai nos convida não somente para dançarmos para Ele, mas com Ele, porque existe uma dança que nasce do coração de Deus, porém, apenas aqueles que se deixam ser conduzidos pelo seu Espírito, desfrutarão da cura, da libertação, do renovo e da intimidade que provém dessa dança: a Dança da Noiva.

Davi dançava com todas as suas forças diante da arca (II Samuel 6), assim também podemos dançar expressando a alegria da salvação que recebemos pelo sangue de Jesus.

Estes são dias em que Deus está restaurando o Tabernáculo de Davi (Amós 9:11), é hora dos adoradores se levantarem e não recusarem o convite de dançar com o Criador. Enquanto dançarmos seremos curados!

A dança constitui um meio de comunicação muito pessoal e eficiente.Como arte, pode contar uma história, determinar uma disposição de espírito ou expressar uma emoção sem pronunciar uma única palavra. A dança é tanto uma arte como uma forma de diversão.

5.1. PORQUE DANÇAR

A dança surgiu no coração de Deus, e Ele mesmo cuidou para que dentro de nós houvesse movimento, desde o nosso sangue que se movimenta até as batidas do nosso coração.

A Bíblia traz em Salmos 150:4 "Louvai-o com adufes e danças…", lembremos que a Bíblia foi inspirada por Deus, é a palavra de sua boca. Por isso, podemos entender que Ele se agrada da nossa dança como forma de adoração.

Deus nos criou para o louvor de Sua Glória, como diz em Isaías 43:7, e com todo o nosso ser: espírito, alma e corpo; podemos exaltar Aquele que é digno de todo louvor, adoração, domínio, poder, honra, glória por toda a eternidade.

A dança muitas vezes tem sido omitida e considerada como algo profano e inaceitável, talvez por falta de entendimento ou por ser usada por alguns de maneira errada. Certamente todos os povos e culturas de todas as nações desde a criação têm expressado sua alegria a Deus dançando, como Miriã, irmã de Moisés em "Êxodo 15:20" que tomou um tamborim e todas as mulheres saíram dançando, como forma de gratidão ao serem libertos do cativeiro egípcio.

"Então Miriã, a profetisa, irmã de Arão, tomou na mão um tamborim, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamborins e com danças…."

A dança de um povo pode revelar muita coisa sobre seu modo de vida.

Em II Samuel 6:14 encontramos o homem segundo o coração de Deus (Davi), feliz e jubiloso por conduzir a Arca da Aliança até Jerusalém. O que estava no coração de Davi era uma emoção incontida e por isso ele passou a pular e dançar ao som de toda sorte de instrumentos foi seguido pelo povo. Com certeza Davi queria de todas as maneiras adorar a Deus, pois na Presença de Deus há liberdade.

"E Davi dançava com todas as suas forças diante do Senhor, e estava Davi cingido dum éfedo de linho.Assim Davi e toda a casa de Israel subiam, trazendo a arca do Senhor com júbilo e ao som de instrumentos."

Outro princípio importante que podemos perceber na seqüência é a atitude de Mical, filha de Saul.

"Quando entrava a arca do Senhor na cidade de Davi, Mical, filha de Saul, estava olhando pela janela, e vendo Davi o rei saltando e dançando diante do Senhor, o desprezou no seu coração." II Samuel 6:16

Por que Mical ficou em casa? Por que não estava junto do povo adorando a Deus?

A verdade é que quando não estamos no meio da adoração, temos uma grande tendência a criticar a desprezar as pessoas que estão adorando. Por isso, sempre que um sentimento como esse tentar entrar em nosso coração, precisamos identificar se estamos fazendo parte da adoração ou se estamos pensando em qualquer outra coisa de menor importância no momento.

Quando Mical, esposa de Davi, o repreendeu pelo que fizera nas ruas, Davi lhe disse: "é perante o Senhor que tenho me alegrado." II Samuel 6:21

É interessante observarmos que o Senhor não aprovou o espírito crítico de Mical, e isso causou esterilidade a ela até o dia de sua morte. Trágico não? Pois é, não é bom julgarmos aqueles que fazem alguma coisa diferente de nós para louvar a Deus, pois se Deus aceita nós do jeito que somos, também aceitará a adoração por mais esquisita que nos pareça.

Entretanto a Bíblia nos exorta a não usarmos da liberdade para dar ocasião à carne, conforme Gálatas 5:13. Porém, com maturidade e pureza podemos nos alegrar com expressões corporais, sem malícia e sem ferir a santidade de Deus.

Em Juízes 11:34 a Bíblia nos fala de Jefté que sua filha saiu a saudar-lhe com adufes e em Juízes 21:21 que as mulheres judias gostavam de celebrar dançando em rodas, e até hoje em Israel preserva-se esse costume onde os homens participam.

No livro de Jeremias encontramos um trecho profético que fala da plena restauração de Israel no cap.31. De maneira clara o Senhor diz vers. 13 "Então a virgem se alegrará na dança, como também os jovens e os velhos, porque tornarei o seu pranto em gozo e os consolarei, e lhes darei alegria em lugar de tristeza".

Em Lucas 15: 11-32, a história do filho pródigo que saiu de casa de seu pai com sua parte da herança e foi para o mundo se entregar aos prazeres da carne. Tornando-se miserável após cuidar de porcos, o rapaz caiu em si e resolveu voltar arrependido à casa de seu pai. Seu regresso tornou-se uma grande festa de celebração e danças, pois o que estava morto reviveu, e o que estava perdido foi achado.

Precisamos ser livres para adorar a Deus com a nossa dança, pois quando tocamos o coração de Deus com nossa adoração e atraímos a sua Presença e a Sua Glória se manifesta.

Não perca a oportunidade de experimentar uma dança com o Criador.

Texto retirado de Gisela Matos Kohl

Deus os abençoe,

Pra. Marlici C.D.C.Santos

Anúncios